HOME - Nacional
 
 
13 Maio 2024

SPPI quer aumentar literacia quanto à doença das gengivas





Cristina Trigo Cabral, presidente da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI).Cristina Trigo Cabral, presidente da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI).

A Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI) alerta para a importância do trabalho conjunto de médicos dentistas especialistas e generalistas para melhorar a literacia da população quanto à doença das gengivas, que pode agravar outras patologias crónicas.

“A doença periodontal é uma inflamação crónica nos tecidos que envolvem o dente e o aumento dos fatores de inflamação pode estar associado a um agravamento de diversas patologias”, disse a presidente da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI), Cristina Trigo Cabral.

A especialista disse ainda que, atualmente, há evidência científica de que pode haver um agravamento da diabetes, com o doente a “não conseguir controlar tão bem a sua glicose devido a esta inflamação”.

“Por outro lado, o desequilíbrio da diabetes também agrava a doença periodontal”, acrescentou, dando igualmente o exemplo dos estudos já existentes a propósito da associação da inflamação crónica das gengivas a doenças cardiovasculares, ao Alzheimer, ao baixo peso à nascença e ao parto prematuro.

No âmbito do Dia da Saúde Periodontal, comemorado a 12 de maio, a SPPI promoveu ações de rua, em Lisboa, Porto e Coimbra, onde médicos dentistas ofereceram ‘kits’ de higiene oral à população, sensibilizando para a importância da doença das gengivas (periodontite), que afeta metade dos adultos.

A Federação Europeia de Periodontologia lançou igualmente uma campanha dirigida aos médicos de família para que estes “ajudem os médicos dentistas, alertando a população para a importância de ter uma saúde periodontal”.

Cristina Trigo Cabral sublinha a importância de se recorrer ao médico dentista regularmente – “e não só quando dói o dente” – para que este possa “remover o tártaro e a placa que está por baixo da gengiva e ao redor do dente”. “Após esse tratamento, (…) o doente deve manter hábitos de higiene oral como a escovagem dos dentes, o uso de fio dental e de meios auxiliares de escovagem, como o escovilhão interdentário” para remover eficazmente a placa bacteriana, salientou.

A especialista reconhece que a maior parte da população não valoriza o facto de aparecer sangue no lavatório após a escovagem dos dentes, alertando: “Isso é sinal de doença, não é saúde”.

“Não se pode sangrar das gengivas, esse é um dos primeiros sinais de doença periodontal, antes de surgir o movimento dos dentes, o mau hálito, as gengivas edemaciadas e descarnadas”, explicou a presidente da SPPI, lamentando que, muitas vezes, a população só procure o médico “quando aparece sangue na almofada”.

A especialista sublinha ainda a necessidade de um melhor acesso aos médicos dentistas, sobretudo pela população idosa e menos favorecida. Lembra que a Medicina Dentária “evoluiu de forma a que as pessoas mantenham os seus dentes naturais até mais tarde” e insiste na prevenção da doença, sublinhando: “a prevenção é o fator chave”.

Fonte: Lusa 

Otros artículos

O 6º Fórum do Conselho Nacional de Saúde (CNS), que se realiza dia 3 de junho, na Assembleia da República (AR), irá incidir sobre o sistema de informação...


Nome: Reunião Anual da Academia Portuguesa de Medicina Oral Data e local: 24 e 25 de maio em Lisboa Organizador: Academia Portuguesa de Medicina Oral Descrição:  A...


Nos próximos dias 5 e 7 de junho, a S.I.N. Implant System, referência mundial na fabricação de implantes dentários, componentes e soluções odontológicas,...


International Team of Implantology realizou o Simpósio Mundial ITI 2024 nos pasados dias 9 a 11 de maio, em Singapura, com más de 5.500 participantes ...


Uma seleção dos conteúdos e datas mais importantes para médicos dentistas também passam a ser divulgados gratuitamente num novo canal de WhatsApp da Ordem...


Vídeo destacado


 
 

 
 
 
 
 
 

Calendário / eventos